29.12.16

Livro para brincar da Abremente

img_9892.jpg

Somos fãs de quiz por aqui! E a coleção de livro Abremente da Catapulta Editores com perguntas e respostas é genial! Os livros são separados por idade para que todas as crianças se divirtam.


E ainda tem um formato super fácil de carregar na bolsa. Achei ótima opção pra distrair crianças em momentos de tédio (enquanto comida chega no restaurante, filas, espera de médico…).

Ganhamos um kit super bacana da editora  Catapulta Editores. E Catarina adorou a brincadeira. Como o primeiro livro é para 3 e 4 anos, Catarina, com 2 anos e meio, não consegue responder tudo, mas muita coisa ela já sabe e fica toda feliz quando acerta a resposta.
Algumas perguntas a gente explica o que é direitinho e ela curte também.

A coleção composta por oito publicações, trazida da França pela Catapulta Editores, estará à venda em livrarias de todo o país, como Saraiva, Cultura e FNAC por R$ 29,90.

 

A coleção também pode ser uma alternativa aos jogos, vídeos e brinquedos eletrônicos. Entre as características dos livros estão diversão, curiosidade, desafio, aprendizado, brincadeira, humor, intercâmbio e descoberta.

Já foram vendidos mais de 50 milhões de exemplares da Abremente em todo o mundo desde o seu lançamento em 1989, na França. Os livros também foram sucesso em países como Estados Unidos, Itália, Austrália, China, Bélgica, Argentina, México, Espanha, Chile e na região da Catalunha.

04.11.16

Romance sobre relação entre pai e filho

O papai da Tatá, Daniel Cúrio, escreveu um livro sobre relações familiares. É um pouco a vida de um filho com um pai ausente. Pra quem é mãe/pai, é emocionante ler a visão do filho.

Segue um trecho do livro e em seguida o link para quem quiser comprar o ebook.
“Todos se reuniram ao redor da mesa. Cantaram o parabéns, bateram muitas palmas. Alguém gritou, mandando o aniversariante fazer um pedido e apagar as oito velas. André fechou os olhos. “Eu só queria que meu pai estivesse aqui”, ele pensou, com muita esperança. E as velas foram apagadas com toda a força que ele tinha nos pulmões. Ao abrir novamente os olhos, André sentiu que seu desejo tinha sido atendido. O pai passava por sua janela. Ele havia acabado de estacionar o carro.

André correu da mesa e se desvencilhou de algumas tias-avós que tentavam beijar-lhe a face. Abriu a porta do apartamento e viu o pai. O pai olhou para o lado. Os olhos dele se encontraram com os do filho. Os olhos do pai fugiram. O pai subiu as escadas, dando as costas para André.

O menino congelou na porta de casa. Soltou a arma de plástico no chão e ficou observando o corredor vazio. Estava quieto, olhando para o nada, até que foi envolvido pelos braços de sua mãe e os pés descolaram do chão.”

 

Link para baixar o livro: Forfait -> https://www.amazon.com.br/dp/B01MQ0GRTR

 

17.03.16

A biblioteca da Catarina

Me lembro que naquela longínqua época antes de Catarina nascer, mamãe e papai estavam sempre lendo. Somos jornalistas, afinal. Leitura e escrita são dois elementos muito importantes de nossas vidas. Às vezes, ficávamos os dois na cama, cada um com seu livro ou revista, aprendendo, viajando e imaginando.

  
Quando veio a notícia de que Catarina estava a caminho, ficou bem claro quais seriam as nossas prioridades na criação dela: amor, atenção, carinho, respeito, diversão e… LIVROS. Ela nem tinha nascido e sua pequena biblioteca já começava a se formar.
De lá para cá, o acervo da Catarina só cresceu e ganhou todo tipo de exemplares. Temos aqui histórias leves, daquelas com apenas uma frase curta a cada duas páginas, tramas mais densas, como os contos de fadas clássicos, livros só com imagens, com sons e onomatopeias, com animais, ensinando a contar, ensinando o nome dos bichos, macios, felpudos, com páginas de papel, de papelão, de tecido e de plástico. É livro para todo tipo de momento.
Não demorou para que a mocinha tomasse gosto dela leitura. Logo cedo, já era possível vê-la sozinha, manuseando as páginas e absorvendo aquelas imagens coloridas. Ela também elegeu os favoritos. Tem um de bichinhos que, de tantas vezes que foi aberto, viu sua lombada rasgar e precisou ser reformado.
Há algum tempo, quando os sons e palavrinhas começaram a sair com mais facilidade da boca da Catarina, uma nova modalidade surgiu. Ela passou a ler para as bonecas (“nenéns”, como ela chama). Colocava todas sentadinhas e contava as histórias com alegria e paciência.

    
Nessa semana, nossa pequena leitora deu um novo passo. Em vez de simplesmente ler os livros para as nenéns, organizou todas bem sentadinhas e deu um livro para cada uma. Acho que isso parte um pouco da observação dela de nos ver lendo e do dia a dia na escola, mas é um barato ver como funciona o raciocínio e a imaginação da nossa menina.