11.10.16

Quarto montessori do Vicente

quartomontessori

Esse quarto lindo é do Vicente, um amigo muito querido da Catarina. Nós conhecemos e já brincamos por lá. Como quarto montessori (ou montessoriano, como muitos chamam) sempre gera dúvidas, pedi para a Érika, mãe do Vicente, contar um pouco como montou o quarto.

quarto-montessori-vicente-3“Escolhi esse estilo de quarto por alguns motivos: praticidade, economia e autonomia. Percebi que muitas pessoas que compravam berço acabavam não usando. E acho importante estimular a autonomia e respeitar o bebê colocando os objetos baixos, ficando tudo ao seu alcance”, explicou a Érika.

O principal do quarto montessoriano é ser acessível para o bebê ou criança. E estar preparado para que seja explorado com segurança. “Coloquei um futon e tapete de EVA no chão, barra, espelho horizontal e uma estante de brinquedos que podia ser usada como trocador e depois poderia separar em dois módulos, virando uma mesa para ele”.

quarto-montessori-vicente“Não sei como teria sido o desenvolvimento do Vicente sem o quarto montessoriano, ele foi um dos primeiros do grupo de amigos da mesma idade a engatinhar e andar. Além disso, desenvolveu muito a independência e consegue mostrar com muita propriedade seus interesses. Desde cedo, ele escolhe o brinquedo e o livro que ele quer”, comenta.

 

Em vez de expor muitos brinquedos, Érika decidiu colocar apenas alguns à disposição do Vicente. Ela escolheu ainda um móbile de tecido e fotos para completar a decoração. Alguns objetos que não poderiam ficar ao alcance de um bebê ficaram protegidos em uma prateleira mais alta. “Meu cachorro sentiu muito o nascimento do Vicente e rosnava para ele. Então coloquei um portão de segurança na porta do quarto para evitar que meu cachorro entrasse durante a noite e acordasse ele”quarto-montessori-vicente-2

Para limpar o tapete, a dica é usar pano com álcool em dias alternados e retirar todas as placas do tapete uma vez por semana.

“Se fosse montar hoje um quarto de bebê montessori, iria optar pelo piso vinílico no lugar do tapete que usei. E mesmo se tiver outro, não terei berço. Talvez investisse numa boa poltrona de amamentação, não achei tão confortável amamentar no futon. Mas recomendo muito esse estilo de quarto e acredito que algumas pessoas, como minhas irmãs, por exemplo, façam a opção de não ter berço também”.

Agora, com Vicente com 2 anos e 4 meses, Érika começa a fazer algumas mudanças no quarto, como tirar a barra e separar a estante para virar uma mesa para ele usar.

14.07.16

Brincadeiras para recém-nascido

Quando os bebês começam brincar? Eu me perguntei isso por muito tempo quando Catarina nasceu. Como várias mães, comprei alguns brinquedos lindos e pensava que logo ela estaria brincando por aí. Mas não é exatamente isso que acontece. Assim que nascem, os bebês parecem ainda estar descobrindo o mundo. E estão mesmo.

A brincadeira do recém-nascido é descobrir o mundo. De preferência colado na mamãe que é o local comum para ele, já que passou 9 meses ali dentro.

Aí vocês vão me perguntar: “Mas eu não posso fazer nenhuma brincadeira com meu bebezinho?” Pode sim! Eu dei muito colo, fiz dança materna com outras mães e dancei muito em casa também.

Além disso, existem alguns estímulos que podemos fazer com eles.

Catarina com alguns dias se conhecendo no espelho

Catarina com alguns dias se conhecendo no espelho

Alguns pediatras recomendam que os bebês fiquem de bruços alguns minutos por dia (poucos minutos). Eu colocava um espelho, desses de brinquedo mesmo, para ela se ver.

Os tapetes de atividades e móbiles também são ótimos recursos para os bebês conhecerem aos poucos o mundo.

Observar o movimento da água dentro de uma garrafa também fazia sucesso por aqui, tem vídeo nesse link.

11.07.16

Quarto montessoriano – Um quarto ao alcance dos pequenos

Quanto montessoriano da Catarina recém-nascida

Quanto montessoriano da Catarina recém-nascida

Numa daquelas associações que fazemos inconscientemente, bebê e berço formam uma unidade quase indissociável, né? (Poderia falar de chupeta e mamadeira também, mas não é esse o caso.) Mas já pensou em não ter um berço para o seu bebê?
O assunto é complicado e tem gente que chega a se ofender. Não são raros os casos de parentes que simplesmente compram um berço sem consultar os pais porque acham que aquela decisão não faz sentido. Só que isso não se trata apenas da decisão de comprar ou não um móvel. A ausência do berço é praticamente uma bandeira de um estilo de criação.
Já ouviu falar em quarto montessoriano? Não. Então segura a minha mão, miga, que eu vou te apresentar a uma coisa sensacional!

Catarina curtindo o quarto montessoriano

Catarina curtindo o quarto montessoriano

O quarto montessoriano nada mais é do que um ambiente totalmente seguro e acessível para os pequenos. É um ambiente protegido e amigável para que o seu filho cresça sem as limitações dos cercadinhos, com liberdade, segurança e autonomia.

 

Os principais elementos de um quarto assim são:
– Piso emborrachado, para que a criança possa se locomover sem o risco de se machucar numa possível queda.Principalmente em volta do colchão.
– Cama no chão. Pode ser um colchão ou um futon. O importante é que o bebê tenha liberdade para sair da cama e voltar para ela quando quiser e sem dificuldade.
– Decoração na altura da criança. Afinal, por que colocar um quadro numa altura que o bebê nunca vai enxergar.
– Poucas opções de brinquedo, para que o bebê possa dar atenção a todos e não seja hiper estimulado. É bom fazer um rodízio de brinquedos de tempos em tempos.
– Grade na porta, pois o quarto é seguro, mas provavelmente o resto da casa não é, né?
Aqui em casa, a resposta sempre foi muito positiva. Catarina sempre teve total liberdade no quarto e acho que isso contribuiu bastante com seu desenvolvimento. Fiquei tão apaixonada por esse modelo que me tornei ativista e hoje recomendo o quarto montessoriano para todas as grávidas que conheço.

O ideal é montar um quarto mais clean, com pouca informação e poucos detalhes.

Catarina dormindo nos primeiros 3 meses num "ninho"

Catarina dormindo

Ah, vale destacar que esse modelo foi desenvolvido pela educadora Maria Montessori. Se você não conhece ainda o trabalho dela, vale conferir o vídeo.